Design de informação em interfaces digitais: origens, definições e fundamentos

Autores

  • Fernanda de Souza Quintão UFSC
  • Ricardo Triska UFSC

DOI:

https://doi.org/10.51358/id.v11i1.243

Palavras-chave:

design de informação, usuário, conteúdo

Resumo

Nos dias atuais, o design envolve a produção não só de objetos materiais, mas também de interfaces gráfico-digitais, com as quais o usuário interage no ciberespaço. Existem pontos de contato entre o design de informação e o design de interfaces, uma vez que ambas as disciplinas lidam com informações e signos. São identificados dois marcos para a origem do design de informação, ambos oriundos da década de 1930: o mapa das linhas de metrô de Londres, de autoria de Harry C. Beck, e  o trabalho desenvolvido por Otto Neurath, que introduziu o método Isotype. Observa-se que diferentes definições para a disciplina ou campo de estudo destacam a importância do usuário no processo do design de informação. São apresentados seus fundamentos, a partir dos estudos de Bertin, Mijksenaar, Tufte e Redig. Percebe-se a necessidade de se atentar às possíveis estratégias para se reforçar, diferenciar e suportar conteúdos a serem apresentados aos usuários, seja em suporte físico ou digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-09-01

Como Citar

Quintão, F. de S., & Triska, R. (2014). Design de informação em interfaces digitais: origens, definições e fundamentos. InfoDesign - Revista Brasileira De Design Da Informação, 11(1), 105–118. https://doi.org/10.51358/id.v11i1.243

Edição

Seção

Artigos